Evento re ne seresteiros para lembrar 50 anos da morte de Francisco Alves

Por S rgio Foga a


   Um dos mais expressivos e importantes m sicos brasileiros do s culo passado, Francisco Alves foi quem mais gravou discos em 78 rpm no Brasil, al m de enorme sucesso no r dio. Mesmo assim, seu nome nem sempre lembrado como deveria. Um grupo remanescente do que foi o Clube da Seresta, no in cio da d cada passada, em S o Paulo, pretende corrigir esse descaso. Lembrando a morte do cantor e compositor, que assinava Chico Alves, o grupo pretende reunir os admiradores de uma boa seresta nesta quarta-feira, dia 25.

    A iniciativa do produtor cultural Fernando Szegeri, ele mesmo um freq entador das reuni es do antigo Clube da Seresta. Na poca, Fernando tinha pouco mais de 20 anos, mas j curtia com os veteranos, belos sambas, valsas e fox-trotes. A id ia desse encontro para homenagear Chico Alves ressuscitar as antigas rodas de seresta e garantir um novo espa o permanente para cl ssicos da " poca de ouro" da m sica brasileira. Por isso a escolha de um lugar que j abrigou muita tradi o e boa m sica. Trata-se do antigo Caf Paris, refer ncia da m sica popular nos anos 70. Agora ser rebatizado provisoriamente de Bar do Ti o.

    Durante a homenagem a Chico Alves e a reinaugura o no novo espa o, estar o presentes, al m de Fernando e seu viol o, os m sicos Giba, no viol o de 7 cordas, Jo ozinho, no cavaco, e Tigr o, no pandeiro. Ainda prometem aparecer por l outros amantes do g nero: m sicos e admiradores. Entre as can es do repert rio da noite, cl ssicos inesquec veis na voz de Franciso Alves como Serra da boa esperan a, de Lamartine Babo, Esses mo os, de Lupic nio Rodrigues, A voz do viol o, de Francisco Alves e Hor cio Campos, e Malandrinha, de Freire Jr., entre outras.

 

Chico Alves: meio s culo de saudade

Dia 25, s 21h

Bar do Ti o (antigo Caf Paris) Av. Waldemar Ferreira, 55, Butant

Tel. (11) 3811-9729

Couvert Art stico: R$ 5,00