Andr a Pinheiro

"Sou uma cantora que desenvolve o of cio, profissionalmente, h 13 anos. Comecei a cantar aos 17 anos em um bar teatro, em Bel m, O Maracaibo. Durante este per odo, estudei t cnica vocal, participei de v rios shows, festivais de m sica, gravei como convidada em CDs de artistas paraenses e em CDs de colet nea. S me ressinto de n o ter levado adiante meus estudos de viol o. O ano de 2001 foi muito bom para o meu trabalho. Foi quando consegui lan ar meu primeiro CD solo, "Fiz da Vida uma Can o", onde interpreto 16 composi es de Waldemar Henrique. Este disco nasceu de um show com o mesmo t tulo. O patrocinador interessou-se pelo trabalho e ent o gravamos. Sempre achei que n o era uma boa id ia gravar o primeiro disco tem tico. Hoje discordo de quem tenha esta opini o. Acho que depende muito do trabalho que voc apresenta, pois este meu disco, apesar de ter um tema, de ser sobre a obra de um compositor, tem uma enorme pluralidade: somat ria de ritmos, sons, timbres... e que, ao mesmo tempo, tem a unidade da obra do maestro e do meu pr prio trabalho como int rprete. Fiquei muito feliz com o resultado e tenho tido uma receptividade enorme com ele. O segundo disco, que j est gravado, est previsto para lan amento em 2002. um CD de sambas e chorinhos gravado com o grupo carioca Galo Preto. Vai ser lan ado pelo selo da Secretaria de Cultura do Estado do Par . Como v em, n o posso me queixar do ano que termina. Preparo, j , planos para meu pr ximo CD, que deve ser gravado em 2002 com composi es de v rios artistas, cuidadosamente selecionados. Recentemente, participei do show de anivers rio do compositor Nilson Chaves (inclusive teve divulga o na P gina). Foi um grande evento que reuniu mais de 50 convidados, m sicos de todo o Pa s. Dentre eles estavam Chico C sar, Ivan Lins, Zeca Baleiro, Sandra de S , Boca Livre, Z Renato, Fl vio Venturini, Cl udio Nucci, Luli e Lucina, Sebasti o Tapaj s, Jane Duboc, Faf de Bel m e v rios outros, entre eles muitos paraenses. Foi um belo show. claro que nem tudo s o flores... a dificuldade que n s, artistas, enfrentamos, e eu falo aqui no Estado (Par ), onde conhe o bem, com a quest o da divulga o e distribui o do trabalho. O meu CD, por exemplo, tem tido uma procura muito grande, mas nem de perto a procura que poderia, pois a divulga o quase inexistente. N o temos um selo e a distribui o que conseguimos local (Bel m), levando s lojas que t m feito pedidos. Os exemplares que est o fora do Estado (Rio, Bras lia, S o Paulo) s o levados por amigos que sabem da nossa dificuldade, que gostam do trabalho e procuram de alguma maneira lev -lo a outros ouvintes. Mas isso ainda muito pouco dentro do universo que temos pela frente para tentar alcan ar."

www.culturapara.com.br/andreapinheiro